Assassinato de agricultor de A Gonçalves repercute na Bahia

A Comissão Pastoral da Terra (CPT) da diocese de Senhor do Bonfim (BA) se manifestou hoje (15) sobre o assassinato cometido contra o agricultor e militante social José Raimundo Mota Júnior, ocorrido na última quinta (13) na localidade de Jiboia, zona rural de Antônio Gonçalves (BA).

Em entrevista ao jornal 98 Notícias, o coordenador da CPT Antônio Célio lamentou o crime e disse que Júnior nunca se envolveu em confusão, e a única luta do agricultor era em favor de melhorias na qualidade de vida para a região quilombola onde morava.

Mota Júnior foi assassinado com vários disparos de arma de fogo na cabeça quando trabalhava na própria roça no povoado de Jiboia, em Antônio Gonçalves (BA), segundo a Pastoral da Terra. Durante a execução, um sobrinho e um irmão da vítima foram agredidos com socos. 

Em dois anos esse foi o segundo assassinato registrado contra líderes agricultores no município.

Júnior estava na liderança do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) e também participava de um projeto social em Campo Formoso (BA) que tem a finalidade de implantar bancos de sementes crioulas em comunidades rurais.

A notícia da morte do militante repercutiu em toda a Bahia. Entidades e instituições como Incra-BA, Comissão dos Direitos Humanos da Assembleia Legislativa e o Movimento de Pequenos Agricultores (MPA) também emitiram nota de repúdio e cobram solução. A polícia investiga o caso.

 

 

Confira no áudio:


Foto: rede social de amigos de Júnior

Redação do site da 98 FM de CFormoso